2 de jun de 2007

Bárbara Aisha




Se tem uma coisa que eu não tenho é "herança musical". quando era criança eu ouvia os discos infantis que eram da minha irmã, mas tb nem dava tanta bola, e o pessoal lá de casa não ouvia muita música, só minha avó usava mesmo a vitrola, mas botava mais brega pra tocar. criança não fica sentada ouvindo música, né?

Enfim,eu comecei a procurar saber de música, estudá-la, me informar etc. com uns 14 anos porque antes disso...bem, deixa pra lá, mas lembro de algumas coisas, algumas mpb's marcantes, tipo catedral. Lembro de ouvir muito "sozinho" tb (acho que veio daí o trauma) e lembro que a cantava bastante mas nem fazia idéia de quem a cantava, no sentido de pensar ser só mais um cantor.Com 14 eu era muito mais ligada a rock 'clássico', e a décadas passadas; coisa que adoro até hoje, me faço numa festa flash back. Depois de um tempo já 'namorando' a mpb, sempre tentava ouvir Chico, Caetano, Milton etc... mas não colava. Eu gostava, mas não colava. faltava alguma coisa, e acho que o que me fez, "de uma hora pra outra", abrir os olhos e mais que me apegar, sentir e entender Caetano (e cia) foi meu próprio interesse mas também um amadurecimento geral. Não fiquei triste de ter perdido um tempo sem ouvi-lo, porque foi infinitamente belo o encontro que tive.. então, mais que conhecer e gostar das músicas e de caetano, eu os sinto., os amo mesmo!

2 comentários:

outros bárbaros disse...

esse depoimento passa o contrário da consistência do que está em mim. escreverei novamente, depois
assim ficou muito sapiens

R.R. disse...

Linda foto(Cores e Nomes) e lidas palavras...

Beijão,
Rafael Rodriguez.