31 de mai de 2007

Meu encontro com Cae / Rafael Rodriguez





Morava lá em Cabo Frio, interior do Rio de Janeiro.
Quando pequeno escutava apenas aqueles grupos infantis (Trem da Alegria, Balão Mágico, etc).Um dia, revirando o armário da sala, encontrei a coleção de discos dos meus pais. Tinha Jazz, trilhas de novelas, orquestras, Chico (aquele onde ele na capa joga sinuca e tem um cigarro na boca), lembro também de uns LPs da Bethânia, "Mel", “Talismã”. Tratava aqueles discos com muito respeito, não era por qualquer motivo que estavam separados dos demais. Nos encartes dos Long Plays da Bethânia um nome se repetia e me deixava bastante curioso, Caetano Veloso...
Meus pais não escutavam mais aqueles discos, não sei o motivo, poderia ter sido a falta de tempo e tudo mais, mas havia todo um respeito velando aquelas obras...Passei o resto da minha vida escutando de tudo o que tocava nas rádios, interior, não tinha muita escolha, escutei de tudo e não me arrependo; aprendi muito... Lembro que durante minha adolescência era despertado ao som de Roberto Carlos, programa “Momentos do Rei”.

Quando me joguei no teatro, isso já nos meus 15/16 anos, o polarizador do grupo montou uma intervenção com a música “Terra”, a versão que ele precisava era a do álbum ao vivo “Prenda Minha”. Comprei o cd e fiquei maravilhado, não parava de escutar, não saía do som. E foi esse mesmo polarizador que me apresentou as outras obras; “Circuladô” foi uma delas.

Mas a paixão ocorreu no ano passado quando fui ao meu primeiro show do Caetano, “Cê”, no Circo Voador. Dei-me de presente a entrada, fui sozinho no meu aniversário assistir Caetano. Antes de começar eu tremia de ansiedade. Não acreditei quando nos primeiros acordes Ele entrou. No dia seguinte corri para as bilheterias para poder encontrá-lo à noite novamente.

E foi definitivo, não tenho como negar, fui tomado por essa força estranha emitida por Cae.



-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
foto: rafael rodriguez (circo voador / dezembro de 2006)

Um comentário:

Angela Chaloub disse...

Rafael,
Realmente Caetano nos arrebata!...
Muito lindo.
Bjos